Fisioterapia

COMPRESSÃO DO

NERVO FIBULAR

O que é e como 

ocorre compressão

do nervo fibular?

O nervo fibular é um nervo misto que se origina a partir do nervo ciático, em geral no terço distal da coxa, desce até a parte lateral da fossa poplítea e depois cursa ao redor do colo da fíbula, para passar através de uma abertura ósteo-fibrosa (túnel fibular) sob o ventre superficial do músculo fibular . No interior desse túnel ou imediatamente distal ao mesmo, o nervo se divide em nervos fibulares superficial e profundo.

Compressão do Nervo Fibular.jpg

Nervo fibular na região do joelho

CAUSAS

A parte muscular da abertura do túnel fibular pode ser fibrótica e pode provocar uma angulação no nervo em seu trajeto através do túnel. Além disso, significativa quantidade de tecido conjuntivo fibroso fixa o nervo à porção proximal da fíbula e pode comprimir o nervo. Muitas vezes a causa da compressão do nervo não é conhecida, sendo denominada de idiopática. Causas conhecidas de compressão são o hábito de cruzar as pernas, compressão contra grade da cama em pacientes em coma/debilitados, compressão contra mesa cirúrgica, imobilizações rígidas muito apertadas, prolongada posição de cócoras. Perda de peso excessiva pode ser um fator que contribui para a compressão pela perda do coxim gorduroso sobre a cabeça da fíbula, que predispõe o nervo à compressão externa neste local.

SINTOMAS

Geralmente a queixa é uma dificuldade em andar, provocada pela dificuldade em fletir dorsalmente (levantar) o pé. Na maioria das vezes há também perda de sensibilidade na parte de cima do pé.

DIAGNÓSTICO

A história e o exame físico permitem que se estabeleça o diagnóstico de compressão do nervo. A dificuldade em andar é decorrente da fraqueza dos músculos responsáveis pela flexão dorsal do tornozelo e dedos do pé. Pode haver perda da sensibilidade na distribuição cutânea dos nervos fibulares superficial e profundo. A percussão do nervo na região da cabeça da fíbula pode provocar dor e formigamento na distribuição sensitiva do nervo fibular (sinal de Tinel positivo). Dor espontânea é incomum. A eletroneuromiografia é útil para confirmar o diagnóstico. O ultrassom e a ressonância magnética podem ser importantes quando há suspeita de causa incomum de compressão do nervo.

Como é feito

o tratamento da

compressão do

nervo fibular?

Nos casos idiopáticos, muitos pacientes apresentam recuperação adequada com o tratamento clínico. Nos casos cirúrgicos, cerca de 85% dos pacientes apresentam recuperação pós operatória da função motora.

TRATAMENTO

CLÍNICO

Quando conhecida, a causa da compressão do nervo deve ser suprimida para evitar lesão adicional. Antiinflamatórios não-hormonais e corticóides podem ser úteis na vigência de inflamação. Reabilitação deve ser instituída precocemente e uma órtese para controlar a dinâmica anormal do tornozelo e permitir a dorsiflexão do pé é útil durante a recuperação do nervo.

TÉCNICA CIRÚRGICA

Se após 2-3 meses de tratamento conservador não houver recuperação funcional, o tratamento cirúrgico deve ser considerado. A cirurgia consiste na descompressão do nervo, através da abertura do túnel fibular. Por vezes há necessidade de ressecar parte da cabeça da fíbula.